O projecto do comércio transatlântico de escravos (UNESCOTST) integra escolas das três regiões envolvidas no comércio triangular de escravos (África, América e Europa). O objetivo deste projeto é aumentar a consciencialização sobre as causas e consequências do tráfico transatlântico de escravos, incluindo as formas modernas de escravitura e do racismo, através de intercâmbios educacionais e a criação e disseminação de materiais educativos.

Os gestos internacionais foram usadas repetidamente como uma ferramenta educacional para melhorar o conhecimento de línguas e culturas africanas nas escolas secundárias, bem como uma maneira de os alunos africanos comunicarem com colegas ao redor do mundo.

Exemplos dessas atividades (por ordem cronológica):

1999: Clube Wolof

A colaboração entre o IES Pedra da Auga na Galiza (Espanha) e o Collège d’Enseignement Moyen em Ndoffanne, Kaolack (Senegal), permitiu aos alunos de ambas as escolas partilharem informações sobre as suas línguas e culturas, questões relativas à educação em ambos os países e as suas perspectivas sobre a história da escravatura. Isso foi muito antes de qualquer uma dessas escolas ter acesso à Internet e a troca foi feita através de pacotes postais que levavam vários meses. Pode ver dois vídeos feitos na escola de Espanha nestas atividades

Cumprimentar e viajar em wolof, a língua do Senegal.

Questões em espanhol e Wolof foram enviadas ao Senegal em vídeo

2000: Segundo Seminário Regional TST, Lagos, Portugal em Novembro

Os coordenadores TST de Espanha, Brasil e Moçambique que participaram neste evento, concordaram em fazer atividades comuns na rádio e na aprendizagem de línguas em África com gestos internacionais.

2001: Encontro das Escolas UNESCO-ASP no Brasil, em São Luís do Maranhão, em Julho

As actividades planeadas no ano anterior em Lagos foram apresentadas nesta reunião, onde o foco foi o Projeto Rota dos Escravos UNESCO.TST.

Pode ver a apresentação para mais de uma centena de professores brasileiros que participaram neste encontro, incluindo uma prática com gestos internacionais: a canção “13 de Maio”, de Caetano Veloso, que comemora a data em que a escravatura foi abolida no Brasil.

Línguas africanas no Ano Europeu das Línguas em Barcelona, em Setembro

No âmbito deste projecto europeu tem-se procurado promover o conhecimento das línguas africanas:

Dara, Canção brasileira de Daniela Mercury, em Português e Ioruba.

Solidarité Canção senegalesa de Youssu N ‘Dour em Wolof,

2003: Segundo Fórum Regional TST da Juventude, Copenhagen, na Dinamarca, em Novembro

Os gestos internacionais foram utilizados neste encontro internacional para produzir uma série de atividades sobre as línguas e culturas africanas.

Cumprimentos africanos em Wolof e iorubá:

Saudação Suaíli e “Swing Low” (uma canção que ajudou escravos a encontrar o caminho para a liberdade):

Dara (uma canção em Português e iorubá refletindo o património Africano no Brasil):

2004: Poemas Afro-Americanos de Cuba

O IPVCE”Ernesto Guevara” em Santa Clara preparou uma série de poemas afro-cubanos com gestos internacionais para uma reunião do TST com escolas espanholas em Cuba.

Exemplo:. Som número 6, do poeta afro-cubano Nicolás Guillén

Clubes de suaíli

Os gestos internacionais YoGoTe foram usados ​​para preparar as lições para a introdução em línguas estrangeiras, duas das quais da África (wolof e suaíli).

Isto permitiu aos alunos criar Clubes de suaíli, onde aprenderam expressões básicas nesta bela língua africana.

Também podemos ver uma atividade com uma canção de saudação em suaíli: