O projeto YoGoTe visa a promoção do multilinguismo e a compreensão internacional através de gestos internacionais como canal de comunicação adicional.

Existem vários precedentes para sustentar essa intenção.

Sinais dos indígenas americanos

A primeira coleção de gestos internacionais da história foi desenvolvida pelas nações indígenas das planícies da América do Norte. Falavam mais de cem línguas diferentes e faziam gestos comuns ​​usados como canal de comunicação adicional

Para mais informações, veja os desenhos de muitos desses gestos, AQUI.

As seguintes citações são tomadas a partir dessa fonte:

Lembrese que esta é em grande parte uma linguagem base, porque os sinónimos são geralmente cobertos pela palavra base.

– A língua de gestos é tão verdadeira com a natureza e tão natural na sua expressão que não é provável que morra.

– O índio raramente usa a expressão facial, mantém um rosto sereno e digno, mas os gestos são suficientes em si mesmos

– A língua de gestos pode ser usada com vantagem a uma distância que o olho pode alcançar, mas o ouvido não.

– A beleza de uma conversa com sinais depende da maneira de fazer os gestos. Os movimentos não devem ser angulares ou irregulares, mas devem ser arredondados e feitos com uma interpretação radical.

Mudras

No outro lado do mundo, a cultura da indiana criou um conjunto de gestos que são uma parte importante dela: Mudras e Hastas (Hastas são sinais mais espirituais e Mudras são mais específicos). Estes gestos são compreendidos por pessoas que falam muitas línguas diferentes.

Estes gestos são usados ​​por várias razões. Podem ser usados para imitar o significado de uma canção, para meditar ou podem ser uma simples ornamentação estética. Alguns têm um significado muito limitado mas outros são usados ​​para representar uma grande variedade de ideias.

Nos casos em que uma ideia é transmitida, é mais importante comunicar claramente os gestos com as mãos – adaptando-os se necessário – do que seria realizá-los com uma correção rígida.

Gestuno

A linguagem de sinais Gestuno foi inicialmente discutida em 1951 pelo Congresso Mundial da Federação Mundial de Surdos. Em 1973, um comité criou e padronizou o sistema internacional de sinais. Tentaram escolher os sinais mais compreensíveis de diferentes línguas de sinais para criar uma língua fácil de aprender por todos, não apenas para as pessoas surdas, mas também por quem estivesse interessado nela.

O nome “Gestuno ” é italiano e significa “a unidade da língua de gestos”. Algumas pessoas surdas usam Gestuno nos Jogos Mundiais para Surdos e na Conferência e Festival Deaf Way em Washington, DC, mas de resto o seu uso é muito limitado.

A Comissão publicou um livro com cerca de 1.500 sinais. Não tem uma gramática específica, de modo que já se tem dito que não é uma verdadeira linguagem.

Foi, depois, publicado em diferentes edições, correspondentes a diversos e amplos contextos culturais:

Inglês y Francês – ÁrabeJaponês

ISL

Os gestos de Gestuno, sem gramática, não são uma verdadeira linguagem e por esta razão uma nova língua de comunicação internacional está sendo desenvolvida pelas pessoas surdas, com o nome de ISL (siglas em inglês para International Sign Language, ou Língua Internacional de Gestos).

Existe um site com informações sobre vários gestos de ISL, como o vídeo a seguir (para a palavra cor“).

A ISL, como qualquer linguagem de sinais, tem a sua própria estrutura gramatical. Isso torna-a difícil de usar simultaneamente com as línguas faladas. A razão é que cada idioma tem uma estrutura gramatical diferente. Qualquer linguagem de sinais com uma gramática em si não pode ser acomodada sem distorção às estruturas gramaticais das línguas faladas

Gestos para a aprendizagem de línguas

A aprendizagem de línguas num nível básico pode ser mais fácil usando gestos como ferramenta de ensino e aprendizagem. O raciocínio é que os gestos podem transmitir o significado do que estamos aprendendo a dizer e entender numa língua nova. Os alunos podem usar as mãos para apoiar e reforçar o que eles estão dizendo e as interações são mais significativas.

Existem vários métodos de aprendizagem de línguas baseados nesta ideia:

Integração com gestos na escola:

Uma das consequências do processo de globalização é o facto de haver mais e mais escolas onde os alunos não entendem a língua de instrução. A utilização de sinais e gestos pode ajudar a integrar os estudantes na vida escolar, ao mesmo tempo que podem ser utilizados para uma primeira abordagem da língua usada na escola.

O programa Makaton foi inicialmente concebido para proporcionar um meio de comunicação de pessoas que não podem comunicar de forma eficiente com a voz. Tornou-se um método para a introdução ao Inglês e para a integração na escola de novos alunos que não falam Inglês. Este método é utilizado em escolas do Reino Unido e de outros países. Pode ver vários gestos nestes vídeos em Inglês e Polaco:

Aprendizagem duma segunda língua

Existem vários métodos para aprender uma segunda língua através de gestos e sinais como ferramenta de ensino, tais como:

AIM é um método para aprender uma segunda língua (principalmente o Francês, mas também o Inglês e o Espanhol) que é amplamente utilizado no Canadá e noutros outros países. O uso de gestos é explicado nestevídeo.

Kunisawa é o nome de um professor que desenvolveu um método que usa gestos para aprender Japonês.

YoGoTe

Como foi mencionado anteriormente, o projecto YoGoTe tenta usar sinais internacionais para o multilinguismo e a compreensão.

Estes sinais aproveitam a existência de um canal paralelo de comunicação entre falantes de diferentes línguas.

A coleção de sinais YoGoTe apresenta algumas características comuns com os expostos a seguir:

– A ideia de um conjunto comum de gestos que podem ser usados ​​como uma ferramenta de comunicação para situações de contacto internacional está diretamente relacionada com a experiência histórica desenvolvida pelos índios americanos

– O uso de signos YoGoTe como um valor plástico e coreográfico acrescentado em apresentações de poesia e shows de música está relacionada com o uso de mudras em culturas hindus

– Os 600 sinais da coleção derivam em grande medida dos gestos de Gestuno

– Sinais adicionais foram tomados a partir de ISL e ainda poderiam ser acrescentados mais se necessário.

– A proposta para o uso de sinais YoGoTe como uma ferramenta para a integração escolar de crianças imigrantes e de alfabetização em línguas indígenas e maternas está de alguma forma relacionada com a experiência de Makaton.

– A utilização de gestos internacionais como uma ferramenta para a aprendizagem inicial de uma segunda ou terceira língua tem algumas semelhanças com a proposta de AIM.

Os sinais YoGoTe, no entanto, também têm algumas diferenças com os anteriores:

– Eles não são específicos duma cultura, tais como os sinais dos indígenas americanos ou os Mudras indianos, o que permite serem usados em diferentes contextos culturais.

– Há apenas um gesto para cada conceito, ao contrário do Gestuno onde alguns sinais são formados por dois ou três gestos. Além disso, os sinais YoGoTe são concebidos para serem usados por pessoas ouvintes e falantes, não só para surdos

– Não existe uma estrutura gramatical subjacente, como tem ISL e, por conseguinte, os sinais YoGoTe podem ser adicionados a qualquer língua.

– Os materiais de YoGoTe são gratuitos e estão disponíveis on-line, ao contrário dos materiais didáticos utilizados pelos métodos de aprendizagem acima mencionadas.

Uma característica única dos sinais YoGoTe é a existência de um sistema de escrita para gestos que permite a sua incorporação por escrito em textos, em vez de usar fotografias ou desenhos.:

Pode conferir AQUI que os gestosYoGoTe são muito naturais, e AQUI que os sinais escritos são bastante simples de interpretar.

Exemplo de apresentação on-line do gesto para pássaro e conceitos relacionados, no Dicionário: